Perguntas Frequentes sobre Síndrome de Congestão Pélvica

1

O que pode acontecer se não tratar a congestão pélvica?

Se as varizes pélvicas não forem tratadas, a tendência é que os sintomas se agravem e se tornem limitativos. Negligenciar o problema pode ainda levar ao aparecimento de varizes nos membros inferiores ou ao insucesso dos tratamentos para eliminar as varizes das pernas.

De facto, o reaparecimento de varizes nas pernas após um intervenção, pode estar muitas vezes relacionado com uma origem pélvica destas (origem essa não identificada e não tratada previamente).

2

As varizes pélvicas são hereditárias?

As causas das varizes pélvicas são pouco conhecidas, embora seja certo que o número de gravidezes constitui um fator de risco. A idade, alguns fatores genéticos e uma alimentação pouco saudável podem contribuir para a dilatação das veias e o mau funcionamento das válvulas venosas.

3

Quem tem varizes pélvicas pode engravidar?

Se se tratar de uma situação clinicamente importante, pode ser adequado tratar a síndrome de congestão pélvica antes de engravidar porque a gestação agrava o aparecimento das varizes pélvicas, bem como os seus sintomas. Durante a gestação e a fase de amamentação, não será possível realizar a embolização venosa, devido à necessidade de expor a paciente a radiações.

4

As mulheres estão mais predispostas a sofrer de varizes pélvicas?

Apesar da síndrome de congestão pélvica poder surgir em ambos os sexos, é muito raro aparecer em homens. Na maioria dos casos, as varizes pélvicas ocorrem em mulheres com idades entre os 20 e os 50 anos e que já tiveram múltiplas gravidezes.

Nota clínica: Esta página destina-se à divulgação de noções gerais. Foi utilizada linguagem facilmente perceptível por leitores sem formação específica. As noções apresentadas são ainda assim as mais consensuais à luz do conhecimento científico actual sobre Síndrome de Congestão Pélvica.