Perguntas Frequentes sobre Escleroterapia

1

Quantas sessões de escleroterapia são necessárias para tratar as telagienctasias?

O número de sessões a ser realizado está diretamente ligado ao caso clínico de cada paciente. Isto é, alguns casos raros podem alcançar o resultado pretendido com apenas uma sessão, noutros podem ser necessários 3 a 6 procedimentos ou mais.

2

A escleroterapia é uma técnica dolorosa?

A agulha utilizada no procedimento é extremamente fina, pelo que na maioria dos casos é um tratamento indolor. Alguns pacientes relatam um ligeiro desconforto aquando da injeção, mas afirmam que é praticamente imperceptível.

3

É um procedimento seguro?

Esta técnica é bastante simples e segura e consegue eliminar os vasinhos visíveis nas pernas de forma eficaz. No entanto, como é uma técnica invasiva, tem alguns efeitos colaterais associados, tais como o aparecimento de pequenas manchas acastanhadas, hematomas ou ardor na zona tratada.

4

Os derrames podem voltar a aparecer após a escleroterapia?

Uma vez que se trata de uma situação crónica, é normal surgirem outros vasinhos nesse ou noutro local. Pelo que se recomenda fazer uma manutenção (habitualmente anual).

5

A escleroterapia substitui a cirurgia?

Esta técnica é utilizada para tratar veias de menor dimensão e que se encontram mais à superfície da pele. Já a cirurgia, por sua vez, pretende tratar a sua origem.

Isto quer dizer que se o paciente apresentar um quadro clínico mais complexo, a escleroterapia não substitui a cirurgia, mas sim complementa.

É por isso fundamental uma consulta de diagnóstico e a realização de um eco-doppler para uma avaliação dos procedimentos a fazer.

Nota clínica: Esta página apresenta noções gerais e utiliza uma linguagem adequada aos leitores sem formação na área. O conteúdo foi redigido de acordo com o conhecimento científico atual sobre escleroterapia e revisto pelos médicos da Allure Clinic.